Mostrar mensagens com a etiqueta Turismo. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Turismo. Mostrar todas as mensagens

sábado, janeiro 02, 2016

Um dia na Praia do Portinho da Arrábida


Situada no Parque Natural da Serra da Arrábida, a Praia do Portinho é uma das mais bonitas de Portugal. As suas areias brancas e finas e os variados tons de azul das águas límpidas contrastam com a verdejante vegetação da Serra, formando um belíssimo cenário que convida ao repouso.Nesta baía tranquila é possível praticar mergulho para observar a diversidade marinha, estando no entanto interdita a caça submarina pois o fundo do mar é também considerado reserva natural.

Você vai adorar essa praia entre o mar e as montanhas!

Fonte: Visit Portugal

sexta-feira, dezembro 04, 2015

A caminho da Ponte Filipina, em meio a muito verde, ar puro e águas cristalinas.



A Ponte Filipina de Pedrógão Pequeno foi construída durante o século XVII, na altura em que Portugal era regido por monarcas de origem espanhola. A provável data de edificação compreende o período entre 1607 e 1610, e a sua função era substituir uma outra existente hoje submersa pela água da albufeira da Bouçã e em estado de ruína, de origem romana. (de que ainda existem vestígios), que ligava as duas margens do rio Zêzere.

Construída em cantaria, a ponte assenta em três arcos e mede 62,4 metros de altura.

A estrada de acesso a esta ponte só foi construída em 1860, visto que até então esta só seria acessível a pé ou a cavalo.

De ambos os lados, tem uma estrada calcetada com cerca de 1,5 Km de comprimento, em meandro que lhe dá acesso. Era a estrada principal de ligação entre a Beira Baixa e a Beira Litoral, antes da construção da Barragem do Cabril.

Com esta construção a ponte deixou de ser utilizada, entrando em ruína. Já durante o novo século, foram efetuadas obras de beneficiação, que tornaram a ponte e a estrada de acesso em verdadeiros pontos turísticos.

Imóvel de Interesse Público, (Decreto 28/82 de 26-02).


Fonte: www.pedrogaopequeno.com/ponte-filipina

segunda-feira, setembro 21, 2015

Porto Campanhã à Porto São Bento


 Indo de Porto Campanhã a Porto São Bento:
 Essa cidade tem origem num povoado celta, pré-romano. Na época romana designava-se Cale ou Portus Cale, sendo a origem do nome de Portugal.

O território do Porto tem uma área de 45 quilómetros quadrados e uma população de cerca de 240 mil pessoas, sendo a segunda maior aglomeração urbana do país. A cidade é conhecida como a capital do Norte e seu Centro Histórico é classificado como Património Mundial da UNESCO desde 1996.

A cidade do Porto tem um clima mediterrânico, no Inverno as temperaturas variam entre os 5 °C e os 14 °C ,raramente descendo abaixo dos 0 °C.

A cidade do Porto é conhecida como a Cidade Invicta.

Como pontos turísticos, destacam-se a Torre dos Clérigos, da autoria de Nasoni, e a Fundação de Serralves, um museu de arte contemporânea. O Centro Histórico. A Foz é outra zona altamente turística, por muitos considerada a mais bela zona da cidade, onde se pode desfrutar da beleza do Oceano Atlântico conjugada com um belíssimo e romântico passeio marítimo.

Hoje ficamos pelo centro Histórico e a A Estação Ferroviária São Bento, que é célebre pelos seus painéis de azulejos, de temática histórica. Cobrindo uma superfície de cerca de 551 metros quadrados, representam, principalmente cenas passadas no Norte do país. Foram instalados entre 1905 e 1906 pelo artista Jorge Colaço, que nessa altura se afirmava como o mais popular azulejador em Portugal.

Espero que gostem e possam ver de perto estas belezas.


Fonte wikipédia.

sábado, setembro 05, 2015

Praias do Algarve - Portugal



A linha de costa do Algarve com quase 200 km providencia algumas das mais belas praias da Europa, muitas das quais com a prestigiada Bandeira Azul ou pertencentes ao Projecto Praia Acessível – Praias para Todos cujo objectivo é providenciar acesso fácil à quem tenha mobilidade reduzida.

Embora a quantidade de praias seja significativa, é essencialmente a sua qualidade e a sua variedade que maravilha quem as visita. Há praias para todos os gostos: praias de luxo equipadas com todo o tipo de comodidade imaginável; longas extensões de dunas de areia para os que gostam de tomar banhos de sol; praias onde as falésias formam grutas e piscinas naturais que providenciam uma oportunidade de descoberta; praias agrestes e selvagens que oferecem isolamento e um contacto mais próximo com a natureza; praias animadas onde há muita socialização; praias naturistas, praias equipadas para pessoas com mobilidade reduzida e até praias fluviais.

Eu fiquei apaixonada e já voltei uma vez !!!

Apaixone-se você também!

Fonte: http://www.portugal-live.com
          google.com/+MaisPortugal1

Gift: composição Cidônio Rinaldi

domingo, agosto 23, 2015

Cabo da Roca o ponto mais ocidental da Europa continental.



O Cabo da Roca é o ponto mais ocidental de Portugal e também da Europa Continental, sendo também o ponto da Europa Continental mais próximo aos Estados Unidos.



Situa-se na freguesia de Colares, concelho de Sintra e distrito de Lisboa. O local é visitável, não até ao extremo mas até uma zona à altitude de 140 m.



O cabo forma o extremo ocidental da Serra de Sintra.



Está inserido no Parque Natural de Sintra-Cascais, é um  lugar maravilhoso,



numa zona de fáceis acessos e de grande afluência turística, sendo muitas as pessoas que o visitam.



Na zona existe um farol e uma loja turística.



O Farol mais ocidental do Continente Europeu, foi mandado edificar pelo Alvará pombalino de 1 de Fevereiro de 1758.



Entrou em funcionamento em 1772 e sofreu grandes alterações no ano de 1843.



Torre quadrangular de alvenaria, forrada a azulejos brancos e edifícios anexos. Lanterna e varandim, vermelhos.



Vemos a Pedra da Ursa, que é motivo de lendas e histórias.
Deve o seu nome à pedra enorme em forma de ursa, lado a lado com outra formação rochosa de nome Gigante



Ao lado a Praia do mesmo nome, Ursa, a descida até à praia é longa e um pouco difícil, mas compensa pela beleza natural deslumbrante e selvagem da «Ursa».



Brisa fresca  e paisagens admiráveis



Uma pedra em forma de banco entre as flores silvestres, descanso...



Do lado oposto, vemos ao longe a Praia do Guincho,  praia de surfistas...



Barcos levam  apanhadores de mariscos, que ficam entre as ilhotas



um pouco arriscado,



ou muito arriscado...



Luís Vaz de Camões descreveu-o como o local



“Onde a terra se acaba e o mar começa” (in Os Lusíadas, Canto III).



Uma parada aqui para uma visão completa e sentimos o verdadeiro valor de toda  essa maravilhosa Natureza!



A sua flora é diversa e, em muitos casos, tem espécies únicas.

Este passeio vale cada minuto ! Simplesmente adorável!

Fonte:Wikipédia








quinta-feira, agosto 20, 2015

Serra da Atalhada - Moinhos de Vento



Por entre serras e vales onde corre o Mondego,



subsistem antigos moinhos de vento,



estes estão no núcleo da serra da Atalhada.



Saímos de Coimbra cedo,nosso destino era a Serra da Atalhada em Penacova, apenas apenas a 37 quilometros,



A recuperação dos moinhos é um dos grandes objectivos da autarquia de Penacova que neste momento, está em curso muitas obras de recuperação.



Estão a decorrer outras obras na Serra da Atalhada, onde os moinhos, estão a ser recuperados com o objectivo de servirem depois de alojamento, numa clara aposta no turismo rural.



Estes moinhos em outros tempos com as forças do vento serviram para moagem de cereais.



De uma beleza ímpar envolto numa magnifica região



Em breve uma nova utilidade no segmento turístico,



Logo estarão todos prontos para receber turistas...



Nesta época mais uma vez a Serra da Atalhada foi fustigada por um grande incêndio, e acreditamos que o complexo esteja fechado.



Esperamos que no futuro resolvam estas dificuldades e tudo volte a funcionar nesta magnifica região.



Dentro deste complexo existe em reforma um grande restaurante e espigueiros relembrando a época passada



Ao fundo nesta paisagem vemos a Serra da Estrela ainda coberta de neve.



na volta paramos em um excelente restaurante onde a especialidade é frango na Brasa

Em duas opções: normal ou picante: Delicioso!

Viaje, fotografe,Viva feliz!


terça-feira, agosto 11, 2015

Coimbra, cidade do conhecimento e encantadora...


 Hoje vamos passear por Coimbra da baixa à alta e voltando ao ponto de partida, começamos em frente da Escola  Secundaria Jaime Cortesão


 onde encontramos em sua fachada lindos painéis de azulejos portugueses, lugar que  muitos passam e nem reparam em toda essa beleza.


 Os  turistas fotografam e levam de recordação à sua terra natal


 Subindo, encontramos uma homenagem para Luis de Camões,  na Avenida Sá da Bandeira


 também uma homenagem aos soldados mortos da primeira grande guerra de 1914  a 1918


 Um jardim cheio de sombra e muitas vagas para estacionar,


 Posto de informações e o emblemático Café Cartola


 Aqui da praça da República avistamos a entrada do Jardim da Sereia, outro local de descanso e lazer


Chegamos na Universidade de Coimbra, uma das mais antigas do mundo, a  data de sua fundação é de 1290


Resolvemos subir na Torre do relógio, mais conhecida como a "Cabra" pelos estudantes universitários 


Dos quatros sinos que se abrigam na Torre, o mais conhecido é o que ocupa a face voltada para o rio,


 é o maior, seu som é  mais grave e começa a tocar a partir das 7:30 da manhã, o que incomoda até os dias de hoje os  estudantes, que lhe chamam "Cabra" como forma de insulto.


 Ainda que não ultrapasse seus 34 metros de altura, uma paisagem espectacular  pode ser observada por


aqueles que se dispõem a vencer os seus 180 degraus.


 Aqui temos A Sé Velha vista do alto alto da Torre


 Pátio do Colégio


 Mosteiro de Santa Clara-a-Velha


 Rua Sofia e arredores


 Hotel Astória e Rio Mondego


 Sé Nova




 Ponte Rainha Santa, antiga Ponte Europa


Ponte Santa Clara

De volta ao Pátio


 Na Volta  passamos pelo Museu Machado de Castro, que merece uma visita mais prolongada


 Praça e Igreja Sé Velha


 Quebra Costas (Escadarias)


Escadarias


 Arco de Almedina


Porta de Barbacã



 está é a Porta de Barbacã,  as vezes confundida com  o arco de Almedina,


Rua Ferreira Borges, a principal da baixa de Coimbra


E estamos praticamente no mesmo do local onde iniciamos o  passeio. Aqui, o Jardim da Manga, monumento nacional classificado desde 1934 .
Diz a História que o nome desse jardim deriva do fato de sua planta ter sido desenhada na  manga do gibão de D.João III na altura em  que visitou o Mosteiro de Santa Cruz e achou que aquele espaço poderia ser melhor aproveitado.

Não deixe de visitar Coimbra da Alta à Baixa, tudo muito lindo!

Descubra a Ilha do Faial

Ilha do Faial A  ilha do   Faial situa-se no extremo ocidental do Grupo Central do arquipélago dos Açores, separada da ilha do Pico po...